Tecnologia inovadora desenvolve sistema capaz de usar energia solar durante a noite

A empresa Compesa deu início a instalação de um sistema de armazenamento de energia elétrica movida a energia solar dentro da Estação de Tratamento de Água de Petrópolis, em Caruaru, desenvolvido exclusivamente pela fabricante pernambucana, Baterias Moura, que garantiu o pleno funcionamento da ETA, como forma de evitar os problemas que uma simples e rápida suspenção de energia, pode provocar no bombeamento de água.





A tecnologia de armazenamento de bateria tem um papel fundamental a desempenhar para garantir que as residências e empresas possam ser alimentadas por energia verde, mesmo quando o sol não está brilhando ou o vento parou de soprar.

Por exemplo, o Reino Unido tem a maior capacidade instalada de energia eólica offshore do mundo, mas a capacidade de capturar essa energia e implantá-la propositalmente pode aumentar o valor dessa energia limpa; aumentando a produção e potencialmente reduzindo custos.


Veja o exemplo no video:


https://www.youtube.com/watch?v=9SGlfM9XZig&feature=emb_logo

O nome do sistema criado pelo Grupo Moura é Battery Energy Storage Systems – BESS, que se resume a um conjunto de baterias que foram especialmente desenvolvidas na unidade de pesquisa de Belo Jardim, que acumula energia gerada durante o dia, justamente no período em que ela é mais barata e é distribuída em horários específicos.

A bateria serve também como um tipo de suporte quando a energia do ambiente cai, que aumenta a segurança durante o fornecimento. Além disso, também viabiliza uma economia financeira, já que nos horários de pico o preço da energia é dobrado.


O sistema foi desenvolvido para a concessionária de águas e esgotos, que atualmente trabalha com baterias da rota chumbo-carbono, dominante pelo Grupo Moura. Porém, a companhia já trabalha na rota lítio, que é fonte de alimentação de carros elétricos.

Se tratando da Compesa, a bateria do Grupo Moura terá um prazo de um ano para instalar os equipamentos na unidade. O Grupo Moura será remunerado mediante a economia gerada. Entretanto, de acordo com a presidente da empresa, Manoela Marinho, o projeto inicial poderá ser replicado em outras unidades da companhia, pois está alinhado à diversas soluções que já estavam sendo desenvolvidas, com o intuito de reduzir custos com energia elétrica nas suas unidades.

Para o Grupo Moura, esse é um dos projetos que a empresa aposta alto, justamente pelo potencial e pela viabilização de negócios que ele representa, se tratando de termos acumulativos de energia solar.

2 visualizações0 comentário
Fotos
Fotos

press to zoom
Fotos
Fotos

press to zoom
1/1