• Redação

Selo garante originalidade à linguiça de Maracaju e consolida a fama da iguaria sul-mato-grossense


Utilizando carne bovina de primeira linha e temperos regionais com modo muito peculiar de confecção, a linguiça de Maracaju surgiu da necessidade de se conservar a carne, ainda no final do século 19, durante longas viagens. Esse jeito diferente encontrado pelos colonizadores do município de Maracaju – distante a 160 km de Campo Grande – vindos em sua maioria de Minas Gerais e Goiás, logo projetou o município para além de suas fronteiras, fazendo-o ser conhecido como a “Terra da Linguiça”.


O sabor diferenciado e a fama lhe renderam uma festa própria que reúne milhares de visitantes todos os anos e já chegou a comercializar em uma única edição mais de 20 toneladas.

Aos 80 anos, quem conta a história com riqueza de detalhes é o produtor, Gerson Marcondes. Gerson lembra que para a festa de seu casamento, há cerca de 58 anos, um parente chamado Joaquim de Souza foi escalado para produzir a linguiça que seria consumida na festa. O próprio Joaquim teria dado o nome de ‘linguiça de Maracaju’ a iguaria.

Entre as diversas histórias que marcaram a história de sua família ao longo destes anos todos seu Gerson lembra com satisfação do registro no Guinness Book (o livro dos recordes), em 1997, por ter produzido uma linguiça de 32,5 metros de comprimento, sem emedas, a maior já fabricada até então.

Consolidada e conhecida em todo mundo, a linguiça precisava estar protegida contra falsificações. Partiu então da Associação dos Produtores da Tradicional Linguiça de Maracaju (APTRALMAR), presidida pelo filho de Gerson, o produtor Gilson Marcondes, a iniciativa de buscar a identificação geográfica, junto ao Ministério da Agricultura.

membros da APTRALMAR

Após cinco anos de luta, contando com valorosos parceiros para cumprimento dos tramites, a Associação recebe nesta terça-feira (5), o registro de identificação geográfica da linguiça de Maracaju em um ato em Brasília.

Ao ganhar visibilidade e competitividade com a conquista do selo IG, os pequenos produtores associados a APTRALMAR deverão ser os que mais se beneficiarão, segundo Gilson. Ele acredita que a credibilidade trazida pelo selo e o reconhecimento reafirmarão a qualidade do produto e atrairão novos apreciadores.

A história singular da linguiça, a ligação do município com sua produção e a dedicação da equipe da associação e dos apoiadores garantiram a conquista do selo e a satisfação pode ser traduzida nas palavras do Presidente Gilson, que afirma que o selo é mais uma importante etapa para a consolidação da linguiça de Maracaju, pois assegura sua originalidade.

Serviço

Evento: Entrega do Certificado de Identificação a Linguiça de Maracaju

Local: Sede do Sebrae Nacional, Brasília/MS

Data: 05 de abril de 2016 (terça-feira)

Horário: 8h30

Kelly Ventorim – Sepaf

Foto: Instituto Paulo Machado


0 visualização
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now