• Redação

Remédio associado a tratamento da covid-19 desaparece nas farmácias

Busca pelo vermífugo ivermectina aumentou nos últimos 30 dias nas farmácias e na internet



No último mês a procura pela ivermectina, um vermífugo já conhecido pela medicina, cresceu muito nas farmácias do DF e fez com que o medicamento sumisse das prateleiras. Em vários estabelecimentos, a informação é de que o remédio acabou e não há previsão de chegada. O Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Distrito Federal (Sincofarma) confirma que a procura está gigantesca e o produto, em falta nas distribuidoras. 


A grande procura está relacionada especialmente à possibilidade de que a Ivermectina auxilie no tratamento da covid-19. A busca pelo termo “ivermectina” na internet aumentou repentinamente no Brasil e também no Distrito Federal nos últimos 30 dias, segundo a ferramenta Google Trends. Inclusive, na última semana, na capital federal, o termo “Ivermectina” está sendo mais buscado que “cloroquina”.

O medicamento é o mesmo que chegou a ser anunciado pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, como tendo 94% de eficácia contra a covid-19. À época do anúncio, no entanto, o chefe da pasta não divulgou o nome do composto justamente sob o pretexto de evitar corrida às farmácias.

No entanto, a busca na internet aponta que não há evidências da eficácia do fármaco no tratamento ou prevenção da doença provocada pelo novo coronavírus. A Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) emitiu nota pública para alertar que “não existem evidências científicas de que quaisquer das medicações disponíveis no Brasil, tais como ivermectina, cloroquina ou hidroxicloroquina, isoladas ou associadamente, colaborem para melhor evolução clínica dos casos". "Isso também é verdade para vitaminas, como, por exemplo, a C e D, e suplementos alimentares contendo zinco ou outros nutrientes”, completa o texto.

O presidente do Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF), Farid Buitrago, defende que os profissionais têm autonomia para decidir o melhor tratamento para os pacientes, analisando caso a caso: “Se ele considerar que o paciente tem algum benefício com o tratamento de ivermectina, deve ser proposto para o paciente, que deve ser informado dos riscos e benefícios, e informado claramente que não é um tratamento curativo da doença. Ele deve informar que o tratamento é considerado experimental e em alguns casos foram observados benefícios”.

A ivermectina é um fármaco utilizado como vermífugo no combate a pelo menos cinco parasitas. O produto existe no mercado há pelo menos 40 anos e também pode ser administrado na medicina veterinária.

O Conselho Federal de Farmácia (CFF) alerta que, com a ausência do produto nas farmácias, algumas pessoas procuram clínicas que vendem medicamentos para animais. A prática é condenada pelo conselheiro federal Carlos André Sena, que destaca que os medicamentos veterinários possuem formulações diferentes do medicamento para humano. "Tanto que eles são registrados no Ministério da Agricultura, enquanto os medicamentos para humano são registrados na Anvisa", observa. 

0 visualização
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now