• Redação

Permuta em mídia é tendência mundial



Quem acredita que a permuta é apenas uma forma mais barata de comprar mídia está perdendo uma grande oportunidade de divulgar sua marca e ampliar as estratégias de comunicação. Ferramenta valiosa para clientes e agências, a troca de bens ou serviços por publicidade e propaganda é uma tendência mundial, evita cortes nos planos de comunicação, permite o estudo de outros tipos de ações de marketing e possibilita a realização de investimentos em mídia sem a utilização de dinheiro na negociação.

Para as empresas de mídia a vantagem da permuta é poder aceitar o pagamento em produtos como móveis, materiais de escritório e equipamentos, além de serviços. De acordo com reportagem de Kim Benjamin, publicada no site britânico Media Week, "para os clientes, permuta é uma forma de fazer com que a verba direcionada para a mídia não sofra diminuição".

A maior vantagem desse sistema de negócios para os clientes é a possibilidade de trocar estoques indesejados por ações de comunicação, inclusive mídia em cinema, uma forma publicidade desejada, mas descartada em função do preço. "Explorando as possibilidades da permuta, podemos fazer propagandas em cinemas e atrair mais marcas para a mídia", diz uma fonte da matéria do site.

Para se ter uma idéia, o grupo britânico de mídia Omnicom contratou um especialista em cursos de permuta pela Astus e Active International para supervisionar os negócios da empresa, conforme cita a matéria.

No Brasil, as empresas de mídia também estão seguindo a tendência mundial, aproveitando as vantagens do sistema de troca para reduzir custos, desovar estoques e movimentar os negócios. Segundo o diretor Comercial da Tradaq, Marco Del Giudice, pioneira em bartering (troca) no Brasil, a procura tem sido intensa, principalmente para o pagamento de campanhas.

Além de ser mais um canal de vendas, a Tradaq também assessora empresas na comercialização de permutas aceitas como parte de pagamento, dando mais liquidez aos negócios. "Temos ajudado a incrementar os negócios com empresas de mídia que estão com espaços ociosos", conta.

De acordo com o executivo da Tradaq, motivadas pelo recebimento de propostas de pagamento em permuta, as próprias mídias estão interessadas em conhecer como o sistema funciona. Balcão de negócios Com um portifólio formado por mais de dez revistas - entre as quais, Trip, TPM, Gol, Daslu, Cidade Jardim e Itaú Personallitte -, a Trip Editora e Propaganda é parceira da Tradaq há cerca de 5 anos e também utiliza esse sistema de negócios para a redução de despesas."Permuta é um organismo vivo, um balcão de negócios", define Daniela Basile, diretora do Trade e Logística. "É dinheiro e pode ser usado para pagar fornecedores e serviços."

Daniela afirma que o sistema de troca abre um leque muito interessante. "Muitas vezes, um cliente que não iria entrar, por interesse comum, acaba fechando a negociação em permuta", diz. A Trip Editora possui uma equipe de inteligência para escolher o item que melhor atenda ao interesse da empresa. "Só fechamos contrato se o produto ou serviço tiver liquidez", afirma.

O objeto da permuta pode ser usado pela própria empresa -caso de monitores, laptop, materiais de escritório e de decoração, serviços de telefonia e de segurança - ou ofertado ao mercado. "O meu estoque excedente também é oferecido por meio da Tradaq. Faço negócios diários com a rede", conta. Out of home Uma das empresas de mídia que estão trocando espaços por produtos é o Grupo Kallas, especializado em mídia exterior (out of home), e que há cerca de 4 anos faz parte da rede de permutas da Tradaq.

O diretor de Planejamento da Kallas, Rodrigo Kallas, afirma que a permuta tem ajudado na redução de custos da empresa. "A Tradaq tem uma gama de produtos razoáveis que a Kallas pode aproveitar", comenta. "O maior interesse é por transportes, automóveis, eletroeletrônicos e materiais para escritório."

As agências de propaganda são os clientes diretos da empresa que faz publicidade e mídia aeroportuária, materiais para ponto de venda, painéis de ruas, entre outros. A Kallas é um conglomerado de 14 empresas, destacando-se como a maior do segmento de mídia aeroportuária. Administração de estoques Líder em comercialização de publicidade em cinema no Brasil, a Kinomaxx também faz parte da rede de permutas Tradaq há cerca de 4 anos.

A Knomaxx repassa para outros parceiros da Tradaq créditos em produtos ou serviços disponíveis em quantidade acima de sua necessidade, como, por exemplo, diárias em hotéis. Em contrapartida, recebe outras propriedades importantes para a empresa, como móveis de escritório. "Com isso, conseguimos reduzir créditos acumulados que não seriam utilizados de outra forma", afirma a coordenadora de marketing, Mirelle Nakahara. Embora o foco do negócio da empresa seja publicidade em cinema, o objeto de permuta pode ser qualquer item disponível em estoque. "Permuta é uma questão de oportunidade, depende muito da ocasião. Se no momento a proposta for interessante, o negócio é fechado", afirma Mirelle. "O objetivo, além de economizar, é movimentar o estoque parado."

Segundo a International Reciprocal Trade Association (IRTA), entidade criada para promover a permuta no mundo nos Estados Unidos as trocas comerciais movimentam US$ 10 bilhões/ano e, no Brasil, cerca de US$ 800 milhões/ano.


114 visualizações
falta de agua
00:00 / 01:47
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now