Caminhoneiros que transportam grãos nos EUA recebem salários de até R$ 450 mil por ano

Assim como o Brasil, os Estados Unidos são grandes produtores agrícolas, e, apesar do uso em grande escala de trens para o transporte de grãos em longas distâncias, são necessários milhares de caminhões e caminhoneiros para escoar a produção. Devido ao aumento da demanda por transporte e baixo interesse dos norte-americanos em serem motoristas de caminhão no país, os salários tem subido consideravelmente neste setor.

De acordo com dados da ZipRecruiter, os salários médios dos caminhoneiros que fazem o transporte da safra agrícola nos EUA fica em US$ 26 por hora, chegando, na média, em US$ 54.690 por ano.


Apesar disso, em alguns estados, o salário máximo pago a esses motoristas chega a US$ 81.500, cerca de R$ 450 mil por ano, em conversão direta. Califórnia e Alasca são os estados que tem pagado mais a esses profissionais, devido à falta de caminhoneiros.

A falta de interesse dos norte-americanos em trabalhar como motoristas de caminhão se deve aos salários, que apesar de chegarem aos US$ 80 mil por ano, ainda são considerados baixos, ao excesso de regulamentações da profissão, e também às dificuldades e falta de infraestrutura nas estradas. O tempo fora de casa é outro fator que pesa muito.


Para o segmento do transporte de grãos, os caminhões também são inspecionados com frequência para evitar qualquer problema.

A safra de grãos nos Estados Unidos, em 2020, foi estimada em mais de 500 milhões de toneladas. No período de entressafra, devido aos rigorosos invernos, os caminhoneiros que atuam no setor, geralmente, arrumam outros trabalhos temporários para não ficarem parados.

Rafael Brusque – Blog do Caminhoneiro

0 visualização0 comentário
Fotos
Fotos

press to zoom
1/1